IMG-20160701-WA0021

2 de julho de 2016

Deputado Pansera participa do “Alcântara +20: Baía de Guanabara, Territórios sem Fronteiras”

O município de São Gonçalo recebeu, na última sexta-feira, dia 1°, no auditório da Faculdade de Formação de Professores (FFP/UERJ), a Jornada “Alcântara +20: Baía de Guanabara, Territórios sem Fronteiras”, uma realização do Sistema de Integração Municipal América Latina Área Sul (SIMAAS).

A proposta da jornada está alinhada com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) e as 169 metas estabelecidas pela Organização das Nações Unidas (ONU) a serem adotadas pelos países, estados e municípios até o ano de 2030. Um dos assuntos discutidos no evento foram as ações que possam contribuir para o desenvolvimento sustentável da cidade, levando em conta os setores da Educação, Saúde, Meio Ambiente, Segurança e Tecnologia.

No encontro, o deputado federal Celso Pansera comentou o momento político mundial, no qual os extremos de posicionamentos de esquerda e de direita avançam.

– A crise humanitária da África e a crise  econômica da Europa podem ser visivelmente refletidas nos projetos de integração regional com a recente decisão da Grã Bretanha de se retirar da União Europeia. Tudo isso tem reflexo aqui no Brasil, principalmente nos ataques constantes feitos contra o funcionamento do Mercosul – destacou o parlamentar.

Ex-ministro de Ciência, Tecnologia e Inovação, Pansera reforçou como o setor precisa de investimentos para gerenciar o forte potencial brasileiro. O parlamentar defendeu a meta da comunidade acadêmica brasileira de atingir o patamar de 2% do PIB anual em investimentos em Ciência, Tecnologia e Inovação até 2020.

Ao compor um dos painéis do encontro, o deputado comentou sua luta permanente pelos direitos individuais, destacando duas de suas bandeiras: a instituição do voto facultativo e o fim do serviço militar obrigatório.

A cerimônia contou com a presença também do deputado estadual Nivaldo Mulim, do secretário municipal de Meio Ambiente, Ricardo Harduim, do diretor do SIMAAS, Alejandro Ratti, além de professores, pesquisadores e estudantes de universidades brasileiras e da Argentina.

Para Harduim, os representantes do Poder Público e da sociedade civil precisam pensar mais a respeito do futuro da cidade.

– O município sozinho não resolve problemas e precisamos estar unidos com outras cidades da nossa bacia hidrográfica e assim desenvolver projetos e financiamentos de forma integrada para resolver as urgências ambientais e sociais – explicou o secretário.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *