Post_ano-Bissexto_v1-1

27 de fevereiro de 2016

Por que 2016 é um ano bissexto?

Você deve saber que o ano 2016 é bissexto e que os anos bissextos possuem 366 dias, um a mais do que a duração comum de um ano. Pode ser que saiba também que os anos bissextos acontecem a cada quatro anos, com fevereiro tendo 29 dias. Mas por que isso acontece?

Simples. Para ajustar o ano civil ao ano trópico, que é o tempo que a Terra leva para dar uma volta completa em torno do Sol. Entretanto, esse percurso não dura exatos 365 dias, mas sim 365 dias, cinco horas, 48 minutos e 46 segundos. Essa fração de dias, arredondada para seis horas, se compensa com o ano bissexto – uma vez seis horas, em quatro anos, são 24 horas, ou seja, mais um dia.

E o que aconteceria se esse ajuste não fosse feito? Um dia o calendário marcaria o início da primavera e estaríamos no verão, explica a pesquisadora do Observatório Nacional (ON/MCTI), Josina Nascimento.

– Se não fizermos esse ajuste a cada quatro anos, as estações vão mudando de mês – esclarece.

Já a diferença da aproximação de seis horas menos 5 horas, 48 minutos e 46 segundos tem sido resolvida com o acerto nos séculos inteiros. Isto é, o século inteiro que for divisível por 400 será bissexto. Por exemplo, 200 foi bissexto enquanto 1900 e 2100, não.

Histórico

Instituído em 1582 pelo Papa Gregório XIII, o calendário gregoriano, com essas regras para o ano bissexto, teve que “sumir” com dez dias para corrigir a defasagem. Uma das necessidade deve-se a data da Páscoa, que está ligada ao equinócio de março (outono no hemisfério sul e primavera no hemisfério norte), e estava se afastando cada vez mais da época em que deveria ser.

O calendário gregoriano baseia-se no movimento da Terra em torno do Sol. Existem também os calendários lunares e lunissolares. Em todos os tipos é necessário realizar algum ajuste para que os fenômenos relacionados ao movimento do Sol ou da Lua mantenham-se relativamente constantes em relação ao calendário. Um exemplo é o calendário judaico (lunissolar). Nele há anos com 12 meses e anos com 13 meses.

Com informações do MCTI e do Observatório Nacional

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *