Imagem da Internet

21 de janeiro de 2016

Quatro cientistas brasileiros estão entre os ‘mais brilhantes’ do mundo

O Brasil tem quatro cientistas entre os ‘mais brilhantes’ do mundo, segundo levantamento realizado pela agência internacional Thomson Reuters, que elencou os 3.126 pesquisadores mais citados em artigos científicos entre os anos de 2003 e 2013.

Os brasileiros apontados pela publicação foram Paulo Artaxo, Ado Jorio, Adriano Nunes-Nesi e Álvaro Avezum. Os três primeiros são bolsistas de produtividade em pesquisa do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCTI).

Membro do Departamento de Física da Universidade de São Paulo (USP), na área de Geociências, Paulo Artaxo é bolsista de produtividade em pesquisa do CNPq – Nível 1A. Ele já foi membro do Comitê de Assessoramento de Física e Astronomia da entidade vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI).

Já Ado Jorio é professor de Física da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e também é bolsista de produtividade em pesquisa do CNPq. Ele também é membro do Comitê de Astronomia da instituição.

Especialista e professor de Ciências das Plantas e dos Animais da Universidade Federal de Viçosa (UFV),  Adriano Nunes-Nesi é bolsista de produtividade em pesquisa Nível 1D do CNPq, além de ter sido membro do Comitê de Assessoramento de Botânica.

Álvaro Nezum  é especialista em Medicina Clínica do Instituto de Cardiologia Dante Pazzanese. Ele é o único dos indicados a não ter ligação com o CNPq.