fosfo

21 de janeiro de 2016

Site sobre a fosfoetanolamina já está no ar

Com o objetivo de informar a população sobre andamento das pesquisas com fosfoetanolamina (FOS), o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) lançou um site sobre os estudos realizados com a substância, que pode vir ajudar no tratamento do câncer. Na página o internauta pode acompanhar as etapas das pesquisas desenvolvidas pelos institutos credenciados para conduzir os estudos.

Também está disponível no site os relatórios do Grupo de Trabalho (GT) instituído pelo Ministério da Saúde. Além da pasta, participam do GT representantes do MCTI, Instituto Nacional do Câncer (Inca), Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e pesquisadores responsáveis pelo pedido de patente da FOS no Instituto Nacional de Propriedade Industrial (Inpi).

Prestação de contas

Para o financiamento das etapas iniciais da pesquisa,  MCTI repassou R$ 2 milhões aos laboratórios credenciados: Centro de Inovação e Ensaios Pré-clínicos (CIEnP), de Florianópolis (SC), o Núcleo de Pesquisa e Desenvolvimento de Medicamentos da Universidade Federal do Ceará (NPDM/UFC) e o Laboratório de Avaliação e Síntese de Substâncias da Universidade Federal do Rio de Janeiro (LASSBio/UFRJ). O MCTI investirá, em três anos, R$10 milhões nos estudos da fosfoetanolamina.

De acordo com o Relatório de Atividades, elaborado pelo GT, os três laboratórios possuem infraestrutura de “padrão internacional e estão capacitados para desenvolver pesquisas em conformidade com os critérios estabelecidos pelas principais agências regulatórias internacionais”.  O documento também explica que “não será atribuição do Ministério da Saúde e do MCTI participar das etapas de formulação, produção, qualidade e do desenvolvimento dos estudos clínicos para fins do registro da FOS como medicamento”.

O GT já realizou cinco reuniões para discutir um plano de ação envolvendo as etapas de síntese, estudos pré-clínicos e ensaios clínicos com a fosfoetanolamina. O cronograma de trabalho prevê a conclusão de 80% dos estudos pré-clínicos em sete meses, a partir de dezembro de 2015, quando ocorreu a distribuição de amostras da molécula aos laboratórios credenciados.

Acesse o site aqui: http://www.mcti.gov.br/fosfoetanolamina